Até o Inferno

“Lembra quando você prometeu que comigo iria até o inferno?” Ensopada e tremendo, mas especialmente apavorada. Foi assim que Vera apareceu naquela noite. “Bem, estou aqui para te dar a chance de cumprir essa promessa” Continuar lendo

A Verdadeira Música

Sentado sozinho no palco, ele faz vibrar a corda de uma guitarra enquanto gira a tarraxa, o som baixo gradualmente mudando. Ele faz isso devagar. Uma a uma, as notas vindo do instrumento entram em afinação, e então ele começa a tocar uma música. É suave e agradável, um som que acalma, como uma melodia que já ouvimos antes e nos diz que tudo vai ficar bem. Ele repete o processo na segunda guitarra, então no baixo. O teclado não precisa de afinação, mas ele toca a música nele mesmo assim, ajustando o volume. Ele aperta os parafusos da bateria e checa os microfones. Com tudo pronto, ele vai até a mesa de som e a liga. Continuar lendo

Discagem Direta à Distância

Eu trabalho ao lado do último e derradeiro aparelho de fax do escritório, possivelmente do prédio todo. Quer dizer, fax, sério? Não entendo por que eles ainda são importantes, mas de alguma forma eles ainda existem, sobrevivendo à era dos e-mails e telefones celulares com aplicativos capazes de tirar uma foto de um documento e editá-la para parecer que foi escaneado. É relativamente novo. O lugar onde ficou o meu cubículo, não o aparelho, óbvio. O escritório foi rearranjado recentemente e quase todo mundo mudou de lugar. O aparelho de fax não pode ser mexido, porque está conectado a uma linha telefônica separada e o custo para mudar a linha não é justificável diante dos raros faxes que recebemos. Continuar lendo

16

Era a minha primeira vez em um desses leilões de unidades de armazenamento. Eu já tinha ouvido falar sobre isso, inclusive visto na TV, então quando finalmente sobrou algum dinheiro depois das contas do mês, resolvi experimentar. Um amigo me aconselhou a usar uma das restrições desse tipo de leilão a meu favor: só aceitam dinheiro, e o pagamento deve ser feito imediatamente após você dar o lance vencedor. Então ali estava eu, com mais ou menos $500 para desperdiçar no que seria provavelmente alguns minutos de diversão e uma porção de porcaria. Haviam apenas quatro unidades em leilão naquele dia, números 4, 7, 9 e 16. Eu gostei do número 16, e tinha esperança de que o leilão fosse feito em ordem crescente. Mas o 16 foi o segundo a ser leiloado, e durante o primeiro eu estava tão excitada com a expectativa que mal prestei atenção. Começaram pedindo $200, ao que um homem rapidamente respondeu, seguido de outro oferecendo $225, então outro dizendo $250. Acontece tudo muito rápido, e o leiloeiro fala ainda mais rápido. Eu fiquei nervosa – eu realmente queria o 16 – e acabei gritando sem pensar todos os meus $500. Deve ter ficado claro que eu era uma novata, já que todo mundo riu do meu desespero em ser ouvida. Por um momento eu pensei que só tinham me deixado ganhar por pena. Vendido para mim, por $500. Uhul. Continuar lendo

Achados, e Perdidos

Neste exato momento, eu estou na casa de um estranho, indubitavelmente invadindo, mesmo que eu me sinta imbuída de uma espécie de obrigação moral. O dono da casa e sua esposa acabaram de entrar, sem saber da invasora, que está estupidamente escondida debaixo da cama no quarto principal. Não me julguem, eu não posso dizer que estou pensando direito agora. Ou desde que eu resolvi entrar na casa desse cara. “E como, Jess, você foi se meter nessa enrascada?”, você deve estar se perguntando. Bem, tudo começou alguns dias atrás, quando um estojo de formato incomum foi encontrado numa estação de metrô. Continuar lendo