Relicário

O sol estava se levantando enquanto ele estava lá sentado sozinho no topo do morro com vista para a cidade, seus olhos no horizonte. O céu gradualmente mudando do breu profundo para o azul brilhante enquanto sua mente vagava em algum outro lugar, intocada por tudo que acontecia à sua volta. Ele não queria que outro dia começasse. Ele não se importava com a beleza da visão espetacular diante dele, pois ela não refletia o seu tumulto interior. Ele trocaria de bom grado a eternidade pela noite que estava acabando. Ele renunciaria seu desejo de viver se isso significasse passar mais alguns momentos com ela. Por que a lua se apaga? Por que se vai? Por que o dia está chegando? Por que o sol insiste em escalar para o seu lugar de direito no céu? Não está certo. Não há beleza no horizonte anunciando o alvorecer de um novo dia. Não hoje. Continuar lendo