Como uma Folha numa Queimada

Sempre que eu queria relaxar, eu simplesmente a perguntava sobre seu dia. Ela tem um jeito de compor as frases e um ritmo particular em qualquer coisa que ela diz que é capaz de causar total descontração. Eu não sei como ela faz isso, mas é quase como se ela tivesse um botão ou algo que é ligado sempre que alguém a faz uma pergunta. Ela fala como se ela tivesse passado horas pensando naquilo, escrito diversos rascunhos e te apresenta um texto perfeitamente finalizado, cada palavra é importante. Mas ela faz isso na hora, todas as vezes. Eu a escuto falar como se escutasse uma canção de ninar, sendo gentilmente embalado e recebendo um cafuné ao mesmo tempo. Quando eu encosto a cabeça e suspiro alto, ela já sabe o que vai acontecer. Continuar lendo

Anúncios

Seiva Vermelha

“Mas por que a Biblioteca?”

Eu ouço muito isso. Logo depois dessa pergunta, sempre vem o comentário “não tem nada lá”. Claro que isso não é verdade. Há os livros, pra começar, e todo o conhecimento que vem com eles. Também há músicas e filmes, até videogames. Mas, acima de tudo, há o silêncio. Eu posso ficar em paz aqui, quieta com as minhas histórias e os meus pensamentos, livre para viver a minha vida da melhor maneira que posso. Também há vários lugares para se esconder. Porque, você sabe, o mundo ainda é um lugar perigoso. Continuar lendo

Pilar da Ponte de Tédio

Um Jaguar XKR-S vermelho conversível acelera através de um túnel estreito, derrapando conforme a estrada se curva à sua frente. Logo atrás, um Aston Martin Vanquish azul cobalto realiza as mesmas proezas. Um espectador inadvertido observando a cena seria forçado a olhar novamente para ter certeza; seria fácil acreditar que a mesma pessoa dirige os dois carros. Eles guincham até pararem completamente lado a lado, ignorando o fato de que a estrada com apenas duas pistas é de mão dupla. Roger, o motorista no Jaguar, levanta-se para melhor apreciar a vista. A estrada está livre, vazia e coberta por um céu azul brilhante, sem nuvens, permitindo que a vista alcance até seu ponto máximo. Ela se curva logo adiante, cercada por uma cadeia de montanhas à esquerda e um platô ondulado na direita. Ao longe, um rio e uma ponte quase tocando o horizonte. Uma vista magnífica, como um cartão postal, nos arredores da propriedade da família na Suíça.

“E aí, você topa?” Continuar lendo

Espelho Espelho Meu

Enquanto arruma as malas, Samantha olha para o seu futuro ex-quarto. Ao contrário da maioria dos quartos de garotas adolescentes, as paredes não estão decoradas com pôsteres de bandas e seus cantores bonitos. Ao invés disso, o ambiente cuidadosamente arrumado contém uma abundante coleção de réplicas de obras de arte, ilustrações fantasiosas que parecem saídas de revistas em quadrinhos europeus, e desenhos. Ela gosta de desenhar. Não que ela seja boa nisso, mas não importa. Continuar lendo